*måis umå vez*


...silêncio que destrói...

...cala-te...

...não me ouça...

...não me veja...

...sim, desaparecida...

...esquecimento é parte da vida...

...tristeza também...

...e eu que tanto tinha a dizer...

...emudeci...

...para sempre...

...nada mais será igual...

...eu queria...

...e não queria...

...nunca mais...

...e foi sonho...

...nunca real...

...mundo imaginário que eu tive por um tempo que não sei contar...

...e não existimos...

...e desvivemos...

...e revivemos não-vivências...

...e amei...

...e machucada fiquei para sempre...

...e nunca fui amada...

...sem ceninhas...

...massacrado coração...

...por mim mesma que te amo...

...pra que amar se amar é sofrer?...

...

...silêncio...

...eternidade...

...dor no coração...

...

...

...

...reticências...

...nunca mais não existe...



*Um rabisco, um rascunho, uma vida...* *todå roså tem espinhos* às 23h31
[ ] [ *Para que todos sejam felizes (ou não)* ]


E num querer não-querer incessante eu me perco nestes olhos tolos que me guardam a imagem. Sentir a Lua, sua luz queimar congelante a pele alva minha e tua. E aquele que jaz em meu peito desaparece como que num passe de mágica. Envolvida numa dança que corrói, perco teus olhos nos meus e teus lábios que nunca calaram meu nome engolem o verbo que estava por sair. Assim,  vicio-me do doce que elucida a alma e não posso mais dormir por tua culpa que amarga o viver. E sigo teus passos em forma daquelas mesmas borboletas e trago-te sorte com a mesma joaninha que pousou naquele coração que tinhas esquecido. Sonhadores que nascem de um olhar e permanecem até nunca mais... ou até para sempre, como quiser... E eu queria que as promessas fossem cumpridas, mas tantas foram deixadas de lado que parecem fotos mal-amadas. Quem sabe se foram promessas verdadeiras. Ou ilusão foram... e eu revivo beijos e promessas e abraços e momentos... e esse querer não-querer incessante que me transforma e traz a mim... aquele que um dia foste tu.



*Um rabisco, um rascunho, uma vida...* *todå roså tem espinhos* às 21h07
[ ] [ *Para que todos sejam felizes (ou não)* ]


É... eu escrevo coisas tristes, mas nem sempre são de ti. Às vezes são sonhos que não compreendo e transcrevo em palavras sem sentido na vida. Queria sempre poder te falar a verdade, mas também descobri que a verdade nem sempre é o melhor, então, mentimos. E mentimos até o nunca mais para nossa proteção? E minto para nunca me machucar.

Queria que a vida fosse justa: distribuísse igualmente cada ingrediente vital aos seres humanos. Que você e eu tivéssemos a paz de espírito que não deixa abalar, o amor e o carinho que eu sinto, o romantismo da brisa, a luz das estrelas, a alegria dos raios do sol, o silêncio da noite, a felicidade de um aniversário... Ai, queria que fosse igual, mas totalmente diferente. Mas o que mais quero no momento é o sossego de uma conversa sincera.

...e eu ainda queria um beijo...



*Um rabisco, um rascunho, uma vida...* *todå roså tem espinhos* às 22h58
[ ] [ *Para que todos sejam felizes (ou não)* ]


*FODA-SE!*

...Hoje jogo toda uma vida para o alto...

...Só espero que ela não caia na minha cabeça...

...esquecer e desistir faz parte...



*Um rabisco, um rascunho, uma vida...* *todå roså tem espinhos* às 23h45
[ ] [ *Para que todos sejam felizes (ou não)* ]


Uma folha se desprega da árvore por amor às borboletas que voam livres. É uma pena que as borboletas nem sequer notam as folhas, pois a flor é sempre mais bela e vistosa. A folha triste vai caindo, sem forças para voltar à sua tão linda família e, assim, ela morre. Cai a folha na terra seca e quebra-se em mil pedacinhos que nunca mais serão os mesmos... E a vida vai passando... e as borboletas continuam chegando, mas a folha, pobrezinha, já se foi.



*Um rabisco, um rascunho, uma vida...* *todå roså tem espinhos* às 00h00
[ ] [ *Para que todos sejam felizes (ou não)* ]


Manual do escrevinhamento *isåbellesco* - triste fim

Desculpem, caros leitores... devido a um problema internetesco de expiração de importantes páginas, perdemos um incomparável digiscrito *isåbellesco* que nunca mais retornará. Talvez a humanidade nunca mais possa usufruir de tal digiscrito pelo fato de que é impossível ter outro manual do escrevinhamento *isåbellesco* tão farto de não-pensamentos impensáveis.



*Um rabisco, um rascunho, uma vida...* *todå roså tem espinhos* às 00h59
[ ] [ *Para que todos sejam felizes (ou não)* ]


Porque eu gosto de florear a vida e meus amores... colorir sempre minha estrada com cores, diferentes do cinza desse asfalto...

Porque eu sou assim, perdida num mundo distante que eu quero te deixar descobrir...

Porque eu vivo do ar e do arco-íris que chega leve... também das nuvens em formas de ursinhos voadores e flores, sempre flores...

Porque eu me esqueço... de contar as travessuras de cada dia numa conversa sincera entre as cobertas...

Porque minhas 312 borboletas que voam pelos ares querem encontrar alguém, um certo coração que não se abre...

Porque as flores de plástico não morrem, mas vivem para sempre...

Porque eu planejo meu futuro com carinho, mas parecem não querer o mesmo que eu... muito menos querem pensar como eu... é bom ser diferente...

Porque eu sonho dia e noite, não importa que me digam que sonhar já não vale a pena... ainda acredito que o melhor a se fazer é acreditar e sonhar com um futuro, mas vivendo o presente intensamente e talvez lembrando de coisas boas de algum passado...

Porque eu acredito em anjos, gnomos, duendes, fadas, amigos, amores, alegria, pessoas... mesmo que ninguém mais acredite...

Porque eu acredito nas palavras, mas muito mais nos silêncios do toque das mãos, no calor de um olhar, no aconchego de um abraço, no discurso de um beijo... num único toque do telefone, na música dançada por um instante, um único instante...

Porque acredito no amor recíproco que não sei onde está...

All rights reserved *isåbellå*



*Um rabisco, um rascunho, uma vida...* *todå roså tem espinhos* às 23h42
[ ] [ *Para que todos sejam felizes (ou não)* ]


Um samba-enredo é o meu tema de hoje. Embalado num sábado à noite pelo que está na televisão e se passa num sambódromo cheio e alegre. Essa sala de paredes verdes, tapete de juta, cadeiras, tv e pc, esquenta; o ar é parado e me afoga num denso de qualquer coisa. As pessoas não estão. Dormem, dançam, cantam, mas nunca estão. Papéis de chocolate encontram-se jogados sobre a escrivaninha. Onde deveria ter livros tem lixo... papéis sem nada... triste... Mas chocolate traz felicidade. Será? E tem tanta coisa que me faz assim... e o chocolate tem a cor das fantasias que na tela estão. Era a terra, o primeiro dos quatro elementos fundamentais do nosso planeta; mas eu quero água. Pra me lavar e me limpar do que me incomoda tanto... não sei mais.

*Um rabisco, um rascunho, uma vida...* *todå roså tem espinhos* às 21h52
[ ] [ *Para que todos sejam felizes (ou não)* ]


Dicionário Lúdico Brasileiro

Felicidade: 1. invólucro onde se guardam sorrisos; 2. momento em que os ponteiros do relógio decidem dançar valsa; 3. líquido viscoso que escorrega por entre os dedos; 4. pedaço de gente com cheiro de talco; 5. movimento espontâneo dos cantos da boca em direção às orelhas; 6. sobrenome do azul; 7. olodum dentro do peito; 8. conjunto de círculos concêntricos em rubro e branco para onde se atiram dardos em forma de coração; 9. roçar de pés por sob o cobertor em noites com temperatura inferior a 18 graus; 10. tia-avó da alegria; 11. erva da qual se faz um chá afrodisíaco; 12. movimento elíptico do Sol em torno do ser amado; 13. nome dado à gota salgada que despenca dos olhos em dia de festa; 14. sensação de se ter feito o que se deveria ter feito; 15. oitava cor do arco-íris; 16. retângulo onde se inserem flagrantes registrados em nitrato de prata; 17. desejo súbito de voar; 18. distúrbio psicológico que causa avalanche de gargalhadas; 19. silêncio que se segue à trovoada; 20. exibição permanente da arcada dentária sem motivos justificados aos olhos dos desprovidos de inocência. (Ex.: ¿Vem, amor... Me dá um beijo e me arranha as costas, que hoje eu quero sentir o gosto da felicidade." - in Coisas de Amor Largadas na Noite, E. Almeida)

André Gonçalves  http://www.cabezamarginal.org/cambalhotas/


Então... texto roubado... minha imaginação não anda muito fértil (mentira), mas os textos não saem... então deixarei esse texto, porque eu a-do-rei! E porque eu tô muito muito feliz... Agora não.. mas meu momento geral tá ótimo!



*Um rabisco, um rascunho, uma vida...* *todå roså tem espinhos* às 21h31
[ ] [ *Para que todos sejam felizes (ou não)* ]


Poço dos desejos

Eu queria ser agora alguém que ninguém sabe de onde veio e que ninguém se importasse comigo. Já está acontecido. Eu queria ter poder o suficiente pra explodir o mundo em estilhaços de espelhos pra que todos visualizassem o mundo como ele é. Não queria ter saído da minha casquinha de noz ou do mundo perdido que vivia, pra chegar agora aqui. Tá tudo tão perdido. Queria correr com as pernas minhas para um paraíso em que pudesse sobreviver. Eu tô morrendo aos pouquinhos; sei que todos hão de morrer no fim das contas, mas ver isso agora tá tão triste... Não importa o que eu penso ou o que eu quero, só sei que ninguém me ouve mesmo e quanto mais eu grito, mais eu perco minhas forças e mais eu morro... Morrerei cedo. Logo. Sempre. Incessantemente. Sozinha. No escuro. E no claro. E na vida, como todos, como qualquer um. Tão imperceptível quanto um grão solitário de poeira que voa e a gente engole. Fico, todos os dias a olhar pro teto. Um teto branco comum. Ele parece se abrir e tentar engolir meus pensamentos. Estou vazia. Caída em algum canto esquecido de uma sala empoeirada numa mansão de algum Lorde falido. Cansei. Ouço gritos que clamam por mim... Trabalho escravo? Quero me esquecer nas ondas do mar e afundar onde ninguém nunca mais me encontrará...



*Um rabisco, um rascunho, uma vida...* *todå roså tem espinhos* às 14h31
[ ] [ *Para que todos sejam felizes (ou não)* ]


...sono...

...silêncio...

...barriga totalmente cheia...

...people+arts...

...msn...

...queria que o cel tocasse...

...máquina cheia de fotos do niver da Carol e da Ju...

...vontade de sair de casa...

...sair correndo e me esconder do mundo inteiro...

...perdida...

...fotos antigas...

...conversas sobre um gordinho chato...

...saudades da viagem...

...chorar até não poder mais...

...queria escrever textos diferentes sobre sei lá...

...mails...

...quero fazer as unhas...

...unha quebrada...

...blogs e flogs...

...orkut...

...shhhhhhh...



*Um rabisco, um rascunho, uma vida...* *todå roså tem espinhos* às 00h41
[ ] [ *Para que todos sejam felizes (ou não)* ]


Tem tanta coisa escrita nessa história que o começo tá perdido e o fim tá esquecido. Já não sei mais onde foi que as coisas começaram a mudar assim. Parecia que era uma coisa eterna e agora... Não sei bem se não me reconheço ou não reconheço quem perto de mim está. Todos mudam e diferente não podia acontecer conosco. Na verdade, acho que eu que mudei e esqueci de me contar.



*Um rabisco, um rascunho, uma vida...* *todå roså tem espinhos* às 18h59
[ ] [ *Para que todos sejam felizes (ou não)* ]


...o último da madrugada...

*Sabe o que eu quero hoje?*

*adivinha*

*silêncio lá fora e aqui dentro também*

*batem no teclado*

*acorda quem dormiu há tempos*

*é hora de mudar*

*mudar*

*mudar a mudança que quer mudar*

*isso quer dizer ficar?*

*não é assim tão simples*

*isso era pra ser só as 2 primeiras frases*

*prendam esses dedos*

*malucos*

*quem?*

*adivinha*

*sabe o que eu quero hoje?*



*Um rabisco, um rascunho, uma vida...* *todå roså tem espinhos* às 00h31
[ ] [ *Para que todos sejam felizes (ou não)* ]


Era um vez...

.f.e.l.i.p.e.i.s.a.b.e.l.l.a.f.e.l.i.p.e.i.s.a.b.e.l.l.a.

.i.s.a.b.e.l.l.a.f.e.l.i.p.e.

.f.e.i.s.a.l.i.p.e.b.e.l.l.a.

.b.e.l.l.a.f.e.i.s.a.l.i.p.e.i.s.a.f.e.b.e.l.l.a.l.i.p.e.

.f.i.e.s.l.a.i.b.p.e.e.l.f.l.e.a.

.i.f.s.e.a.l.b.i.e.p.l.e.l.f.a.e.

.i.s.a.b.e.l.l.a.l.i.p.e.

.f.e.i.s.a.

.b.e.l.l.a.f.e.

.i.s.a.l.i.p.e.

.l.i.p.e.b.e.l.l.a.

.b.e.l.l.a.l.i.p.e.

.l.i.p.e.i.s.a.

.i.s.a.f.e.

.f.e.b.e.l.l.a.

.i.s.a.b.e.l.l.a.f.e.l.i.p.e.

.f.e.l.i.p.e.i.s.a.b.e.l.l.a.

.isabellafelipe.

.felipeisabella.

Tudo junto, porque eles foram felizes para sempre.



*Um rabisco, um rascunho, uma vida...* *todå roså tem espinhos* às 00h21
[ ] [ *Para que todos sejam felizes (ou não)* ]


Hoje acordei com saudades de você. Fechei os olhos mais uma vez e pude sentir a tua respiração no meu pescoço jogado no travesseiro. Ouvi tua voz baixinha sussurrando algo incompreensível. Talvez um poema? Talvez uma música? Talvez fosse somente a saudade que falava pela tua boca. Senti teu perfume em meu abraço vazio; o vento trouxe alguma recordação. Tinha barulho de chuva. Abri os olhos e não estava lá, nem a chuva nem você. Mas te vi chegar molhado, pedindo carinho. Na verdade eu precisava de carinho, mas não quero me entregar tão fácil. Parecia que você tava perdido e não sabia o que procurar. Te abracei. Me abraçou. E aquele momento virou eterno. E eu sonho contigo agora. De olhos abertos ou fechados. E mesmo acordada eu sonho. E é o que faço nesse momento. Simples como um olhar. E complicado como eu sou. E foi assim que me perdi em você.



*Um rabisco, um rascunho, uma vida...* *todå roså tem espinhos* às 00h03
[ ] [ *Para que todos sejam felizes (ou não)* ]


[ Em algum lugar que queria me esconder, encontraram minha alma perdida. Meus sonhos esquecidos. Uma vida ja vivida... Se eu algum dia queria ser outra, ja nao posso. Fui descoberta. Estou nua diante da Lua... ]
 
*Quando a Lua se for e o brilho das estrelas não mais restar, respire fundo. Olhe para a sua alma e leia seus sentimentos. Deixe fluir a vida que há dentro de ti. Feche os olhos. Sonhe. Viva. Deixe. Fique. Seja! Eu sou. Sou alguém que não se encontrou. Sou alguém que sei quem sou. Não precisa me entender. Nem eu mesma me entendo. No céu, lá estou. Desejando que as coisas corram bem. Que a paz e o amor vinguem. Que a Lua e o Sol sejam amantes. Essa sou eu. Em meus pensamentos distantes. Em meus caminhos errantes. Em minha vida vazia. Essa sou eu. Um anjo. Uma vida. Uma futura morte. Um amor. Um sonho. Uma distância. Essa sou eu. Uma menina. Uma mania. Uma louca. Uma boca muda. Uma mente pensante. Essa é a minha vida. Quem quiser, que a conheça. Partes de mim não valem a pena. Mas quem disse que alguém conhecerá! Esses são meus sonhos. Meus pensamentos. Minhas ilusões. Aquilo que eu quero. Aquilo que eu quero esquecer. Aquilo que é memória. Aquilo que é a minha única vida. Pensamentos distantes. Voadores errantes. Passarinhos que cantam. Som que ecoa na alma. Vida que saltou por aquela janela. Saiba que nada sou. Pois tudo queria ser. Não chego a ser o vácuo. Pois ele mesmo é alguma coisa. Apenas sou eu. Mas... Quem sabe quem sou?*


BRASIL, Mulher



Em algum lugar que queria me esconder, encontraram minha alma perdida. Meus sonhos esquecidos. Uma vida já vivida... Se eu algum dia queria ser outra, já não posso. Fui descoberta. Estou nua diante da Lua...
20/02/2005 a 26/02/2005
13/02/2005 a 19/02/2005
06/02/2005 a 12/02/2005
30/01/2005 a 05/02/2005
23/01/2005 a 29/01/2005
09/01/2005 a 15/01/2005
02/01/2005 a 08/01/2005
26/12/2004 a 01/01/2005
19/12/2004 a 25/12/2004
12/12/2004 a 18/12/2004
05/12/2004 a 11/12/2004
28/11/2004 a 04/12/2004
21/11/2004 a 27/11/2004
14/11/2004 a 20/11/2004
07/11/2004 a 13/11/2004
31/10/2004 a 06/11/2004
24/10/2004 a 30/10/2004
17/10/2004 a 23/10/2004




*Tente analisar meus pensamentos, você verá que há muito mais do que palavras em meio aos meus tormentos*
*Uma nota musical, a entonação mais correta, uma vida... não é preciso palavras...*


Amigos, amigas... lugares incompreendidos. Corações unidos diante de uma canção de ninar. Emoções carregam cada um num lugar inesquecível.
 *Blog Velhinho*
 *Flog 1*
 *Flog 2*
 *Flog 3*
 *Blog Marrombombom*
 *Flog Marrombombom*
 *Blog do Luli*
 *Blog da Nati*
 *Site da Rose*
 *Flog da Casper*
 *Flog da SanFran*
 *Blog da Ilana*
 *Crônicas*
 *Cásper*
 *SanFran*
 *Blog da mari Kuhl*
 *Blog do Léo*
 *Blog dos Incríveis*
 *Blog de Cinema*
 *Desnhos e webdesign*





O que é isto?